sábado, 10 de junho de 2017

10 DE JUNHO

10 de Junho.

Hoje festejamos o dia da Raça ou de Camões, mas não basta recordar os feitos dos heróis do passado, é preciso olhar para a frente. E não se deve entrar em aventuras caprichosas sem estar bem consciente do resultado desejado.
Mas é preferível mudar do que ficar impassível no pântano até à putrefacção total. Há que dar valor à coragem, embora com resultados criticáveis, dos que fizeram o 5 de Outubro, o 26 de Maio e o 25 de Abril. E há que analisar os erros cometidos durante aquilo que os militares chamam «exploração do sucesso», há que agir após um planeamento para a acção e para o que se seguirá, a fim de se poder ir «mais longe e mais além».
E não é preciso ir «além do que permite a força humana», mas sim, fazer um bom aproveitamento de todos os recursos, humanos, materiais e tecnológicos a fim de recuperarmos a «Nação valente e imortal» pela qual todos ansiamos.
Cabe a cada um de nós o máximo esforço para assegurar o futuro dos netos e ninguém deve ficar sentado à espera que sejam outros a trazer-lhe numa bandeja um futuro melhor.
Temos que procurar ir «para além da Taprobana». Mas nada de bom se consegue com violência. Querer combater a violência com mais violência é como querer matar a fome com mais recusa de alimentos.
Pensemos nisto e façamos tudo o que pudermos, tudo quanto «permita a força humana».

Sem comentários:

Enviar um comentário