sábado, 19 de outubro de 2013

AINDA PODE HAVER CORTES !!!



A jactância constante do título seguinte Governo defende que cortes salariais na função pública são menores que em 2012 constitui uma prova de muita ignorância da matemática. O que interessa não é os cortes serem inferiores aos do ano anterior. O essencial e importante é que além dos cortes sofridos nos últimos anos, os cidadãos vão sofrer maior agravamento. O que é preciso ter em conta é o dinheiro disponível que lhes resta é cada vez menos. O que tem significado é a fracção de dinheiro que lhes resta, em relação a 2011, nos anos 2012, 2013 e em previsão em 2014.

Por este caminho de agravamento doentio e persistente da austeridade, dentro em pouco, o corte vai ter de ser cada vez mais pequeno até que não poderá ser mais do que zero por já não haver um cêntimo na posse de muitos cidadãos. E depois onde vão os governantes buscar o dinheiro para pagarem as suas subvenções e todas as regalias constantes da nota 1 da notícia Despesas com gabinetes do governo aumentam 1,3 milhões de euros: «Os gastos com pessoal abrangem, além das remunerações de ministros, secretários de Estado e seus colaboradores, as despesas de representação, ajudas de custo, suplementos e prémios, subsídio de refeição, férias e Natal e contribuições para a Segurança Social ou a Caixa Geral de Aposentações. Os bens e serviços abrangem telemóveis, combustíveis, alimentação, deslocações e estadas, estudos e consultadoria, entre muitas outras rubricas.»


Imagem de arquivo

3 comentários:

  1. A austeridade em economia significa ter um maior rigor no controle de gastos e faz parte de um plano ou de uma política, quando algum país está com um alto deficit e não se consegue sustentar. No caso português, a política de austeridade é uma exigência da TROIKA aplicada com a maior das super-serviências pelos Desgovernantes ( QUEM NÃO TÊM PLANO ALGUM ).
    Esse plano de austeridade DEVIA ocorrer através do corte de despesas dispensáveis e/ou supérfluas. Contudo e, para estes “senhores”, o DISPENSÁVEL e o SUPÉRFULO é o próprio povo e todos os seus direitos. SIM, PORQUE OS SUPER-MEGA-HIPER "DEVERES" ELES, JÁ OS SUGARAM ATÉ AO TUTANO.
    Só desta forma, se compreende (???) o método grosseiro e híper-penitencia(DOR) que está a tentar ser mais uma vez aplicado e, a descarardes com que mentem sistematicamente e hipocritamente.

    Devem ouvir o que disse ontem o Prof. Dr. Júlio Machado Vaz [ Pessoa de bem e INSUSPEITA ] no Porto Canal

    portalnacional.com.pt/util/tv/jornal-diario-5700037/ 2013-10-18

    ResponderEliminar
  2. Caro José Pires,

    Esta cambada de impreparados que surgiram na política por serem maus alunos na adolescência, como ficou descrito em Carreira política, têm como objectivo obter o máximo de riqueza, depressa e por qualquer forma.

    Não se privam de nada e, para isso, vão sacar tudo o que desejam aos pobres contribuintes, poupando ao máximo os seus amigos coniventes e cúmplices.



    Veja as notícias:

    Gastos governamentais sobem 1,3 milhões de euros face a 2013 e 3,3 milhões de euros face a 2012

    Despesas com gabinetes do governo aumentam 1,3 milhões de euros


    Governo gasta 160 milhões de euros com 13 653 carros


    Isto não pode durar muito tempo e o povo está a despertar e a reagir contra estes abusos e isso não será sereno nem pacífico, irá dar distúrbios que agravam a situação dos portugueses, porque os mais inocentes serão os mais lesados. Há forma de evitar a «guerra civil»: é o GOVERNO PASSAR A AGIR COM SENTIDO DE RESPONSABILIDAE E SENTIDO DE ESTADO.


    Serão capazes???

    Abraço
    João

    ResponderEliminar
  3. João Soares, utilizando a máxima de amigo do meu amigo, meu amigo é, tomo a liberdade de o informar que alguns nem percebo como podiam saber se eram bons ou maus alunos, porque os vi fazerem o curso a dormir durante o dia depois das grandes borgas das noitadas, utilizando apenas os apontamentos dos colegas que assistiam ou participavam nas aulas. E neste espaço não comento mais sobre a matéria.

    ResponderEliminar