sábado, 5 de outubro de 2013

... ... ... AÇORES / PORTUGAL ... ... ...

Um velejador português afirma ter descoberto uma pirâmide com 60 metros de altura e 8 mil metros quadrados de base submersa no arquipélago dos Açores, no Oceano Atlântico. Por meio de leitura batimétrica de navegação, o português disse ter localizado a pirâmide, cuja ponta estaria a cerca de 40 metros de profundidade e a base ocuparia uma área maior que um estádio de futebol.
Diocleciano Silva, que é formado em medicina veterinária, acredita que a estrutura pode representar vestígios da lendária Atlântida.
"É impressionante devido às formas. É uma pirâmide perfeita. E ainda por cima, a orientação, a implantação da pirâmide: Os vértices estão orientados, precisamente norte e sul, como as pirâmides de Gizé (Quéops, Quéfren e Miquerinos, no Egito)", afirmou.
Pela precisão das linhas, o autor da descoberta não acredita que a pirâmide seja de origem natural e imagina que ela representa indícios de Atlântida. As coordenadas da suposta pirâmide foram entregues às autoridades locais na esperança de que o mistério seja desvendado.
O Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, no entanto, relativiza a descoberta !!!
 
[ Nas grutas de Movile, no sudeste da Romênia, próximo ao Mar Negro, uma estranha comunidade subverte as leis que regem a vida na Terra. A 25 metros da superfície, sem luz e quase sem oxigênio, um grupo de espécies animais isolado do mundo exterior desde o fim da Era Terciária, entre 65 milhões e 2,5 milhões de anos, mantém-se indiferente às mudanças ocorridas no planeta, e foi encontrado por cientistas que estudavam o solo da região.
 “A atmosfera da rede de cavernas é composta de hidrogênio sulfuroso, metano, nitrogênio, gás carbônico e pouquíssimo hidrogênio”, conta Françoise Athias-Binche, pesquisadora do Observatório Oceanológico de Nanyuls, na França, que trabalha em cooperação com os cientistas romenos. A vida em ambiente tão inóspito só foi possível graças às bactérias que decompõem o hidrogênio sulfuroso contido na água, fonte de nutrientes para os habitantes das grutas.
As tais bactérias alimentam fungos, que alimentam vermes, que alimentam insetos gigantes primitivos (sem asas, nem processos de metarmofose), que alimentam, enfim, aranhas, sanguessugas e outros pequenos invertebrados. Trata-se de um sistema biológico fechado que se conhece, excetuado as várias fontes hidrotérmicas das profundezas dos oceanos.] ALGUÉM DISSE ???
 
       Vídeo:
video

Sem comentários:

Enviar um comentário