terça-feira, 13 de agosto de 2013

PENSÕES BENEFICIAM DA PROTECÇÃO DA PROPRIEDADE



Transcrição de artigo com interesse para os pensionistas e para uma melhor apreciação da vida nacional por todos os portugueses:

Swaps e pensões

Ionline. Por Luís Menezes Leitão, professor da Faculdade de Direito de Lisboa, publicado em 13 Ago 2013 - 05:00

Está há muito estabelecida na jurisprudência do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem e do Tribunal Constitucional alemão a doutrina de que as pensões beneficiam da protecção constitucional da propriedade, pelo que os pensionistas não podem ser delas privados sem indemnização.

No seu Acórdão 187/2013, o Tribunal Constitucional português, na sua habitual jurisprudência complacente, recusou-se a seguir essa doutrina, o que deixou o governo de mãos livres para atacar os pensionistas do Estado. Pessoas que descontaram para o Estado durante décadas verão assim cortados 10% das suas pensões, na mais vergonhosa quebra de contrato alguma vez verificada em Portugal.

Um governo deve governar para o bem do seu povo. Este governo, porém, preocupa-se mais com o interesse dos credores estrangeiros. Para que estes recebam até ao último cêntimo o dinheiro que apostaram em operações especulativas, o governo confisca os bens dos seus cidadãos.

Ontem foram os salários, hoje são as pensões, amanhã serão provavelmente os depósitos bancários. Tudo para que possam florescer os swaps, o BPN e as PPP. Os que serviram o Estado durante décadas são assim sacrificados a benefício de privados que hoje vivem à conta do Estado. Enquanto os pensionistas vão sofrer, transformados em cidadãos de segunda classe, os vendedores de swaps prosperam. Só se ouvem os seus pregões: “Olha o swap fresquinho! Baunilha, complexo ou tóxico! Ó freguês, fique-me lá com um.”

Imagem de arquivo




SUBVENÇÃO VITALÍCIA, DOS POLÍTICOS, DUPLICA AOS 60 ANOS, com vídeo


 "Lei prevê aumento de 100% no valor da subvenção vitalícia, quando o político beneficiado chegar aos 60 anos."

Temos que aguentar e sustentar estes luxos que descaradamente afrontam os interesses do povo e da nação. Benesses obtidas por leis, leis que servem cada vez mais os interesses dos políticos, ávidos de dinheiro e poder.
Agora já são milhões de euros, e duplicará !!!
Mais de 400 ex-políticos de todos os quadrantes, à excepção do BE, ainda beneficiam desta benesse que foi revogada em 2005 pelo PS.
A possibilidade de se acumularem subvenções vitalícias com vencimentos no sector privado faz com que gestores de topo beneficiem ainda daquela benesse. Casos de Jorge Coelho, Manuel Dias Loureiro, Armando Vara ou Ângelo Correia.
Já Dias Loureiro, gestor de fundos de investimento - e ex-administrador da Sociedade Lusa de Negócios, holding do BPN -, recebe 1700 euros, sendo que, conforme disse ao DN, não tenciona prescindir a não ser que a lei o obrigue. "Nunca pensei nisso", disse.
Os portugueses, têm de ganhar consciência que esta canalha de gente nos destruirá.
Dizimar-nos é o objectivo central do grande capital financeiro. Fá-lo-ão de qualquer maneira, sabedores que são, que o seu sistema político não lhes resolve o problema de enriquecimento ilícito ao mesmo tempo acompanhado de algum bem-estar social de décadas atrás.

O capitalismo tem como meta a atingir a dominação dos povos e reduzi-los a uma nova forma de escravatura.

Vídeo:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=6UBZyx551L4
 

4 comentários:

  1. Amigo João,
    Quando destruírem tudo e, a fome NÃO FOR “SÓ” de um terço da população portuguesa, TAVEZ… compreendam ( SINTAM ) porque é que o Prof. Paulo Morais (tal como eu) fica estupefacto quando VÊ que nesta corrupção É O VALE TUDO e… a DEMO + CRACIA ficou resumida a meros actos eleitorais, onde vão buscar a “legitimidade” para DESgovernar a seu belo prazer.

    A VENDA SERÁ, infelizmente muito em breve :’( =>
    “OLHA O POVO FRESQUINHO, VEJA COMO ESTÁ MORTINHO, VENDEU A ALMA AO DIABINHO, E ESTÁ PRONTO A SER ENTERRADINHO”

    Um abraço.
    Simplesmente Zé

    ResponderEliminar
  2. Bom dia
    Agradeço a sua visita.
    Gostei de ler e saber desta lei que devia defender os pensionistas, mas isto não passa de letra morta a que os nossos governantes desconhecem.
    Parece-me que o nosso maior crime foi o de não sabermos passar aos nossos jovens os valores morais e cívicos com que nós fomos educados.
    Hoje somos governados por uma geração que não lutou e não sabem nada da vida. Tiveram tudo sem ser necessário pedir ou trabalhar para o conseguir.
    Assim seguem ao sabor dos ventos e marés pouco ou mesmo nada se preocupando com o resultado das suas estultices ou se o que vier a seguir ainda fizer pior. Estes jovens não amadureceram nem nunca irão aprender com os próprios erros.
    Para eles tudo são facilidades porque nós lhes vamos desculpando...
    João qual dos dois será o mais culpado...?? Eles ou nós....???

    ResponderEliminar
  3. Carlos Leça da Veiga

    Quando a maior falcatrua política jamais sentida pela População portuguesa e, também, quando o desrespeito absoluto pelos direitos contratuais dos aposentados e dos pensionistas estão a ser esbulhados, tanto as chamadas oposições partidárias como, por igual,as correntes ditas sindicais nada mais fazem que não seja legitimar a burla a que, sem vergonha, chamam de Democracia, então, quem tem a obrigação de estar ao lado da População? Se não forem as Forças Armadas, quem mais há para poder fazê-lo. A População tem de pedir-lhes apoio caso contrário nada acontecerá pois se nada for-lhes pedido, por lógica, nada deverão fazer. Teremos de estar condenados a mais cinquenta anos de podridão? CLV

    ResponderEliminar
  4. Sou militar reformado e não acredito, hoje, nas FA. Elas encontram-se sob o comando de generais afeitos ao sistema e acomodados no bem-estar das suas famílias. Acredito mais nos militares da GNR por razões que não vêm agora ao caso.Até que as armas se façam ouvir, vamos aguentando enquanto pudemos. Rito Canedo.

    ResponderEliminar