segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Pai e amigo 2012-09-10 D. CRISTO


Pai/AMIGO:
Quero que saibas, que embora sendo eu um pequenino, me lembro TODOS os dias de ti e dos “cavalinhos” que me fazias no teu pé ( tenho saudades disso; muitassssssssssssssssssssss…).
Divino quis que tu partisses e sofreste muito com as dores do teu cancro. Na altura não percebia bem; sabia que tinhas ido para os anjinhos como dizia a mãe e quando entrei para a escola primária, no jardim mostrava-te os meus cadernos com os Muito Bons e os Bons pois, sabia que tu os estavas a ver e ficarias orgulhoso de mim.
Eu, tenho o teu nome; como tu o desejaste. A tua neta é Filipa José Porto Pires e o teu neto, filho da tua filha “Maía Intevoleta (a Maria Antonieta que eu não conseguia dizer o nome), é António José Pires de Sousa; como vês o teu nome ficou.
Mas o mais importante é que ESTÁS VIVO DENTRO DE MIM e tu sabes.
Pai, sinto-TE sempre e orgulho-me de ti. Espero que também te orgulhes de mim…
Eu sei que já passaram aqui no Planeta 45 anos desde que tu partiste mas, para mim estás SEMPRE presente.
Eu deste lado e tu desse SABEMOS QUE UM DIA DESTES vamos poder reencontrar-nos, não só em espirito mas, abraçando-nos com muito amor.  AMO-TE PAI.
O teu filho terreno, José Manuel Pires      2012-09-10 D. CRISTO







 
Isto, PORQUE PAUTAS-TE a TUA VIDA, continua lá em casa                                             

 
E a mãe continua a tratar das TUAS plantas

1 comentário:

  1. Esta saudade do pai dói e arrastando-nos no tempo em que os nossos olhos se cruzavam e os cavalinhos eram reais.
    Quantas cavalgadas fizemos que jamais se pagarão em nós. E o som dos cascos fazendo o trote......

    Tudo nesta vida tem um fim.
    Como tu também acredito que um dia nos reencontraremos.

    ResponderEliminar