segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Problema renal. Um apelo

O post Como "LIMPAR OS RINS" tem sido muito visitado e recebeu bons comentários. O mais recente constitui um apelo que é um desafio para os visitantes deste blogue, o desfio de procurarem saber de produtos naturais que ajudem a limpar os rins e a recuperar o seu normal funcionamento.

O apelo diz o seguinte:

O meu nome é joao tambem e sou de Portugal. Neste preciso momento encontro-me na Alemanha e preciso de toda ajuda necessaria que possa encontrar. Minha mulher, relativamente nova, 25 anos, está com um problema grave e sério. Rins.
Está a ser tratada e acompanhada por médicos, óptimos médicos. Um dos rins está quase parado devido a estar com calculos(pedra) e canal entupido. O outro, por sua vez está a ficar fraco e não sei que fazer mais. Preciso que me ajude nuns aspectos, por exemplo comida. Salsa, vou ja preparar sopas com salsa etc. Mais que possa fazer? água muita água.

Estou com muito receio, porque esta semana vai de novo fazer Hemodiálise, porque está a ficar complicado :(
Tenho fé, acredito, e quero fazer o que estiver ao meu alcance para mudar este rumo. Não tenho muitas possibillidades, sei que alimentação irá ajudar muito.

Preciso da sua ajuda. Se puder me ajudar agradeço de todo coração.

O meu e-mail é jp_tiago_reis@hotmail.com

obrigado


Hoje é o João Tiago que precisa da nossa ajuda. Amahã poderá ser um de nós.

Imagem do Google

Alguns preços dos combustíveis no planeta...


Venezuela - Diesel 0,07 €
Arábia Saudita - Diesel 0,07 €
Líbia - Diesel 0,08 €
Gana - Normal 0,09 €
Suazilândia - Super 0,10 €
Síria - Diesel 0,10 €
Egipto - Diesel 0,14 €
Qatar - Super 0,15 €
Kuwait - Super 0,18 €
Emiratos Árabes Unidos - Diesel 0,18 €
Omã - Super mais 0,20 €
Perú - Diesel 0,22€
Moldávia - Normal 0,25 €
Etiópia - Super 0,24 €
Equador - Normal 0,24 €
Bahamas - Diesel 0,25 €
Bolívia - Super 0,25 €
Azerbaijão - Diesel 0,31 €
Indonésia - Diesel 0,32 €
Trinidad - Super 0,33 €
México - Diesel 0,41 €
Cazaquistão - Diesel 0,44 €
China - Normal 0,45 € 
Tunísia – Diesel 0,49 €
Gronelândia - Super 0,50 €
Ucrânia - Diesel 0,51 €
Brasil - Diesel 0,54 €
Malásia - Super 0,55 €
Vietname - Diesel 0,55 €
Iraque - Super 0,60 €
EUA - Diesel 0,61 €
Cuba - Normal 0,62 €
India - Diesel 0,62 €
Rússia - Super 0,64 €
Tailândia - Super 0,65 €
África do Sul - Diesel 0,66 €
Guiana - Normal 0,67 €
Filipinas - Diesel 0,69 €
Hong Kong - Diesel 0,84 €

NA EUROPA

Alemanha - Diesel 1,520 - Não tem salário mínimo mas é sempre superior ao da Bélgica  ( 1.653,00 € )   
Bélgica - Diesel 1,222 € - com um salário mínimo de  1.653,00

Inglaterra - Diesel 1,610  - com um salário mínimo de  1.513,00  

França - Diesel 1,294 € - com um salário mínimo de  1.365,00 €

Grécia - Diesel 1,458 €  - com um salário mínimo de  863,00 €
Itália - Diesel 1,532 - com um salário mínimo de 748,00 €

Espanha - Diesel 1,217 € - com um salário mínimo de 740,00 €

Portugal - Diesel 1,484 € - com um salário mínimo de 585,00 €

 É inacreditável, não é?

Os países da União Europeia, e os seus Ministros das Finanças, realmente tomam as pessoas por idiotas... +IVA TIPP + PIT + ISF + IVA + imposto de consumo sobre a extorsão de diversos e variados...

Politicos que vivem em grande estilo...
mas com o dinheiro dos contribuintes!

E... tomam-nos por idiotas ! :'(

domingo, 30 de outubro de 2011

Controlo, denúncia e justiça são indispensáveis

Com demasiada frequência, deparamos com notícias que mostram que Portugal não parece um País, mas um sítio mal frequentado.

Quatro títulos sobre três casos indesejáveis mostram haver ausência de controlo e de justiça oportuna com decisão rápida, de modo a servir de dissuasor para evitar repetição de actos menos legais, lesivos dos interesses nacionais.

Á falta de controlo institucional eficiente, o País fica dependente das denúncias, que surgem timidamente aqui e além.

Eis os títulos, que servem de link para quem deseje ler o seu teor:

- Salários ilegais na Marinha custam mais 6 milhões por ano
- Viagem em executiva do director da PSP causa protestos
- FENPOL "repudia" viagem de Director Nacional em executiva
- Narciso Miranda suspeito de burlar Ministério da Saúde

Imagem de arquivo

A DITADURA DO PODER ECONÓMICO É UMA REALIDADE !



Oh D. Manuel Martins ainda bem que puseram as aspas nos pedaços
 E... o "nosso" Estado ainda é mais ditador !

O SUBSÍDIO DE NATAL OU 13º MÊS...


Os trabalhadores ingleses recebem os ordenados semanalmente! Mas há sempre uma razão para as coisas e os trabalhadores ingleses, membros de uma sociedade MAIS crítica do que a nossa, não fazem nada por acaso!
Lembrando que o 13º MÊS em Portugal foi criado logo depois do 25 de Abril de1974 no governo de Vasco Gonçalves e que nenhum governo depois do dele mexeu nisso, "agora que o governo NÃO vai pagar aos funcionários públicos o 13º mês ou subsídio de natal”.
É MAIS UMA ROUBO sobre outra roubalheira.
O 13º mês é uma das mais escandalosas de todas as mentiras dos donos do poder, quer se intitulem "capitalistas" ou "socialistas", e é justamente aquela que os trabalhadores mais acreditam.

Eis aqui uma modesta demonstração aritmética
de como foi fácil enganar os trabalhadores.
Suponhamos que ganha 700,00 € por mês.
Multiplicando-se esse salário por 12 meses, recebe um total de 8.400 € por um ano dos doze meses.
700 € X 12 meses
=
 8.400 €   
Em Dezembro, “o generoso” governo manda então pagar-lhe o conhecido 13º Mês:
8.400 € (Salário anual) + 700 € (13º salário)
=
9.100 € (Salário anual + 13ºMês)
O trabalhador vai para casa todo feliz com o "governo amigo dos trabalhadores" que mandou o patrão pagar o 13º mês.
__________________________________________________________________________

Agora veja bem o que acontece quando o trabalhador se predispõe a fazer uma simples conta que aprendeu no Ensino Básico:
Se o trabalhador recebe 700 € mês e o mês tem quatro semanas, significa que ganha por semana 175 €
700 € (salário mensal) ÷ 4 (semanas que tem o mês)
 = 
 175  € ( de salário semanal)
O ano tem 52 semanas, então:
175 € (Salário semanal) X 52 (Número de semanas anuais)
 =
9.100 € ( de salário anual )
O resultado acima é o mesmo valor do
Salário anual + o 13º mês de salário!
Surpresa, surpresa?
Onde está, portanto, o 13º mês ?
A explicação é simples, embora os nossos conhecidos líderes nunca tenham querido saber propositadamente deste simples facto.
A resposta é que o governo, que faz as leis, lhe rouba uma parte do salário durante todo o ano, pela simples razão de que há meses com 30 dias, outros com 31 e também meses com quatro ou cinco semanas (ainda assim, apesar de cinco semanas o governo só manda o patrão pagar quatro semanas) o salário é o mesmo tenha o mês 30 ou 31 dias, quatro ou cinco semanas.
No final do ano o generoso governo “presenteia” o trabalhador com um 13º salário, cujo dinheiro saiu do próprio trabalhador.
Se o governo nos vai retirar o 13º mês salário ou subsídio de Natal, o roubo é duplo.
 
Conclusão:
Os trabalhadores recebem o que já trabalharam e não um 13º mês adicional.
O 13º MÊS NÃO É PRÉMIO, NEM GENTILEZA, NEM CONCESSÃO; É SIMPLES PAGAMENTO PELO TEMPO DE TRABALHADO DURANTE  O ANO !
Zé Pires

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O MELHOR ATENDIMENTO PARA

ALGUNS ENCARREGADOS DE desEDUCAÇÃO



Todos sabemos ter pensamentos maus, mas muito raramente praticar ações más. Todos sabemos praticar boas ações, mas poucos são capazes de bons pensamentos.

O respeito humano é mais forte do que a consciência. Quem não prefere ceder no seu íntimo à mais abjeta tentação, consentir, do que praticar, mesmo inocentemente, uma ação abjeta, no caso, bem entendido, de ser impossível desculpar-se?

Cesare Pavese, in "O Ofício de Viver"

ONDE ESTÁ O RESPEITO NOS DIAS DE HOJE ?

OUÇA O QUE TEM DE SE FAZER:


E... alguns "papás" mesmo assim não entendem ; ' (

Diálogo construtivo

Não deixa de ser significativo que o Conselho de Estado, ao fim de várias horas de «trabalho», se tenha limitado a apelar a «diálogo Construtivo». O diálogo é realmente fundamental, principalmente em situações difíceis, de crise, e apresenta duas facetas:

1. O Governo, antes de tomar decisões de grande importância para a vida dos portugueses, deve ouvir e dialogar com os partidos, as autarquias e outras instituições sociais, a fim de as decisões serem mais ponderadas, eficazes e de efeitos duradouros .

2. Os partidos, as autarquias e as outras instituições sociais devem pedir esclarecimentos e apresentar reparos, propostas, sugestões, de forma construtiva para defesa dos interesses nacionais e salvaguarda do futuro da população.

Nesta ordem de ideias é justo citar a questão apresentada pelo PCP sobre a alegada elaboração de leis orgânicas por sociedade de advogados. Realmente, «num momento em que o Governo "pretende aplicar cortes brutais no orçamento da administração pública, enfraquecendo os serviços públicos e desguarnecendo os direitos das populações"», o PCP pergunta aos ministérios das Finanças e dos Assuntos Parlamentares se confirmam "que as leis orgânicas aprovadas no conselho de ministros assentaram em projectos de diploma elaborados por sociedades de advogados e não pelos próprios serviços". Tal trabalho legislativo deveria ser elaborado pelos serviços próprios do Estado".

Se, por um lado se pretende emagrecer o aparelho do Estado, para reduzir custos, não parece lógico que por outro lado se recorra a sociedades de advogados que, mesmo que sejam de amigos, não deixarão de cobrar o «justo preço» pelo trabalho efectuado.

Nessa ordem de ideias, o questionador quer ser esclarecido sobre as sociedades de advogados em causa, a inexistência de concursos públicos para elaborar estes trabalhos e quanto foi pago. E alerta para a conveniência de serem acautelados eventuais conflitos de interesses destes escritórios em relação às questões em causa".

Estas questões podem ser consideradas como um passo para «diálogo construtivo» sobre um tema de interesse nacional que pode ter repercussões na vida dos portugueses e na forma de encarar a crise na sua globalidade.

Imagem de arquivo

Ponto da situação

Passos Coelho bem avisou que iria fazer cortes na despesa. Só não disse que era na nossa. A nossa despesa com alimentação, habitação e transportes está cada vez menor
Os portugueses vivem hoje num país nórdico: pagam impostos como no Norte da Europa; têm um nível de vida como no Norte de África. Como são um povo ao qual é difícil agradar, ainda se queixam. Sem razão, evidentemente.
A campanha eleitoral foi dominada por uma metáfora, digamos, dietética: o Estado era obeso e precisava de emagrecer. Chegava a ser difícil distinguir o tempo de antena do PSD de um anúncio da Herbalife. "Perca peso orçamental agora! Pergunte-me como!" O problema é que, ao que parece, um Estado gordo é caro, mas um Estado magro é caríssimo. Aqueles que acusavam o PSD de querer matar o Estado à fome enganaram-se. O PSD quer engordá-lo antes de o matar, como se faz com o porco. Ninguém compra um bácoro escanzelado, e quem se prepara para comprar o Estado também gosta mais de febra do que de osso.
Embora o nutricionismo financeiro seja difícil de compreender, parece-me que deixámos de ter um Estado obeso e passámos a ter um Estado bulímico. Pessoalmente, preferia o gordo. Comia bastante mas era bonacheirão e deixava-me o décimo terceiro mês (o atual décimo segundo mês e meio, ou os décimos terceiros quinze dias) em paz.
Enfim, será o preço a pagar por viver num país com 10 milhões de milionários. Talvez o leitor ainda não tenha reparado, mas este é um país de gente rica: cada português tem um banco e uma ilha. É certo que é o mesmo banco e a mesma ilha, mas são nossos. Todos os contribuintes são proprietários do BPN e da Madeira. Tal como sucede com todos os banqueiros proprietários de ilhas, fizemos uma escolha: estes são luxos caros e difíceis de sustentar. Todos os meses, trabalhamos para sustentar o banco e a ilha, e depois gastamos o dinheiro que sobra em coisas supérfluas, como a comida, a renda e a eletricidade.
Felizmente, o governo ajuda-nos a gerir o salário com inteligência. Pedro Passos Coelho bem avisou que iria fazer cortes na despesa. Só não disse que era na nossa, mas era previsível. A nossa despesa com alimentação, habitação e transportes está cada vez menor. Afinal, o orçamento gordo era o nosso. Agora está muito mais magro, elegante e saudável. Mais sobra para o banco e para a ilha.
Ricardo Araújo Pereira


Se o caso não fosse tão dramático… até parecia uma anedota!
Zé Pires

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

POEMA CONTRA A RESIGNAÇÃO

A tinta com que se escreve a dor de um povo

não existe na paleta dos dias perfeitos.

É uma tinta que casa o azul do mar

com a palidez de cal das tardes sem esperança,

o verde, o ocre e a cinza com o metal do grito

que a garganta magoadamente abafa.

E quando os filhos perguntam “amanhã como será ?”,

que ninguém retome o fio da história

na enseada de assombros em que tantos sonhos naufragaram.

Condenaram-nos a responder pelo número que somos,

tornados estatística de uma raiva adormecida,

cifra negra que nos resume e derrota. Até quando ?

Então e as viagens heróicas, as naus afundadas,

as sinuosas rotas de luz, os astrolábios do espanto

e tudo o mais que se perdeu no esquecimento dos mapas ?

São perigosos os poetas na hora do incêndio da memória

com o fogo das palavras que não se rendem nem se vendem.

Agora somos a conta que ficou por pagar, colectiva e brutal,

a miséria sussurrada na aflição das noites,

a dormência dos dedos quando chega a hora

de escrever coragem na página de todos os temores.

Mas há uma pátria que se revolta dentro de nós

quando a música interrompe o sono das casas

e proclama que tudo é legítimo menos a resignação.

                                                 outubro de 2011

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

INDIGNEM-SE!!!


DEPUTADOS COM SUBSIDIO DE NATAL
e
SUBSIDIO FÉRIAS EM 2012

Deputados e funcionários da Assembleia da República contemplados com subsídios de férias e de natal em 2012 no orçamento APROVADO por TODOS os partidos.
À semelhança do que foi justificado para a TAP PORTUGAL, também agora devem vir informar que havia perigo de fuga destes “cérebros” todos para o estrangeiro...
ESTES SÃO OS "SACRIFÍCIOS" DE QUEM NOS desGOVERNA; VOTARAM TODOS A FAVOR 
desde o B.E. ao C.D.S. SEM EXCEPÇÃO.
Aqui fica um extracto:


Veja no Diário da República
1.ª série — N.º 200 — 18 de Outubro de 2011 em:

                 http://educar.files.wordpress.com/2011/10/oe2012ar.pdf


ESCANDALOSO !!!

BANDALHOS !


E… PAGAMOS NÓS

 A "DIVIDA" ?!?!?!

A quem ? ! ? ! ? !
E... para quê ? ! ? ! ? ! ...



ABRAM OS OLHOS !

Vejam este pequeno vídeo:

domingo, 23 de outubro de 2011

Promessas enganadoras



Com base neste video e olhando para a situação actual, Vasco Lourenço alerta que poder foi tomado por "bando de mentirosos". O capitão de Abril fez esta afirmação, justificando a conclusão com um vídeo que "corre" na Internet com declarações de Passos Coelho que foram "renegadas" nos actos do Governo.

Passos Coelho poderá alegar que, quando fez tais afirmações, estava convicto de que conhecia a realidade do País e que, depois, teve muitas surpresas. Isto mostra que não podemos acreditar nas palavras agradáveis e nas promessas ilusórias. Só conhecendo bem o verdadeiro problema se pode procurar a melhor forma para o resolver. Sem um diagnóstico correcto não pode haver terapia eficaz, não pode encontrar-se solução.

Em consonância com isto, Louçã disse ontem que quando falam em atacar o monstro, "querem ir ao bolso e sobretudo à dignidade das pessoas". Nos posts mais recentes tem sido aqui salientado o perigo de olharem mais para os números do que para as pessoas, esquecendo que estas devem ser consideradas o objectivo fundamental de uma boa governação e o seu bem-estar deve ter a primeira prioridade.

Entretanto referindo-se às diferenças de pontos de vista entre o PR e o Governo quanto aos cortes de subsídios dose 13º e 14º meses, Marcelo Rebelo de Sousa salientou que “tudo o que nos permita ultrapassar clivagens contribui para a coesão nacional”. “Não sei qual a intenção do Presidente Cavaco Silva, mas objectivamente é boa a ideia de que não há bons e maus e que estamos todos no mesmo barco”.

O professor está certo quando deixa subentender que a convergência de esforços é altamente positiva para resolver um problema. Porém, tal convergência só é positiva depois de haver uma boa solução para cuja concretização todos se devem unir, sem clivagens. Mas, o unanimismo, a aceitação passiva de erros, ou de soluções ineficazes, é antipatriótica e serve apenas para levar ao pântano de águas paradas e pestilentas. É preciso Pensar antes de decidir e, durante a preparação da decisão, todas as achegas são úteis. Quanto mais variados forem os pontos de vista, mais correcta e fundamentada poderá ser a solução escolhida pelo decisor.

VERDADES !!! ECONOMIA (s)

SE... QUISER SABER ALGUMAS...
 VEJA OS VÍDEOS !































sábado, 22 de outubro de 2011

Colocar as pessoas acima dos números

Os cortes de dois salários aos catorze a que os trabalhadores têm direito, corresponde à percentagem de 14,2857%, a que não chamam imposto para que a percentagem não vá «ferir» interesses dos que recebem salário dourados e de ex-políticos com pensões milionárias. Por outro lado, deve ser salientada a ausência do princípio da «equidade fiscal» o que, como vem sendo hábito, lesa os contribuintes mais desfavorecidos, alargando e aprofundando mais o fosso que separa os 100 mais pobres dos 100 mais ricos.

Muito louvável neste assunto, além dos comentadores que sugerem o aperfeiçoamento do OE 2012, é a atitude da Câmara Municipal de Barcelos, em que o raciocínio lógico e clarividente, encontrou forma de poupar a mesma importância sem retirar o subsídio de férias aos seus trabalhadores, distribuindo o sacrifício equitativamente por todos. Sem sacrificar as pessoas aos números, decidiu encarar estes de uma forma mais humana e mais ética e decidiu apagar as luzes para pagar as férias.

Quando se tem sentido de responsabilidade perante os cidadãos e sentido de Estado e de valores éticos, pensa-se nas pessoas e procura-se diminuir as despesas reduzindo as «gorduras» de um Estado obeso em que os gastos ou desperdícios sofrem de desequilíbrios acumulados ao longo de governos irresponsáveis que se governaram em vez de governar o País, para as pessoas. Neste caso da iluminação pública, se ela em muitos casos for reduzida para metade ou menos só ficarão lesados os accionistas da EDP.

Sobre este tema julgo de interesse recordar, de entre muitos, os seguintes posts aqui publicados recentemente:

Recado a jovens economistas e a governantes
- Cavalgando Um Cavalo Morto
- Acabaram os tempos de ilusões
- Qual o Futuro de Portugal ?
- Não governam para o povo
- Compreender o presente e preparar o futuro
- Corte do 13º e do 14º salários ou imposto?
- Erro ou intenção!!!
- Equidade fiscal é imposição ética
- A caminho do fim ?

Imagem do Google

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Só para terem uma ideia…

RENDIMENTOS DE ALGUNS
EX-desGOVERNANTES !
                Aqui têm:


É SÓ CLICAREM:




E… o Zé Povinho PAGA ; ‘ (

MENTIRAS DETETADAS EM POUCO TEMPO !


Antes com o Socretino:



Agora com o Passinhos:




Quem fala assim não é gago; É BANDALHO !


E… o Zé Povinho vai na conversa ??? ;’(

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

ASSIM GASTAM O DINHEIRO PÚBLICO....

Há políticos a receber mais que um salário mínimo por semana na RTP

São 49 as figuras públicas que recebem entre 200 e 600 euros por semana da RTP e da RDP isto SÓ POR COMENTAREM !!!

A lista é extensa e inclui diversos nomes como Marinho Pinto, Carvalho da Silva, António Mendonça, Carlos Magno, Paulo Rangel, Bagão Félix, Miguel Frasquilho, Miguel Portas, Ana Gomes ou Luís Filipe Menezes.


E… O POVO PAGA ;’(


Querem ver outra situação ?

(Procedimentos da Classe Dominante - Para quando o "Acervo Acusatório" ?)

Mais uma golpada - Jorge Viegas Vasconcelos despediu-se da ERSE

É uma golpada com muita classe, e os golpeados somos nós....

Era uma vez um senhor chamado Jorge Viegas Vasconcelos, que era presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem, poucos devem saber para o que serve.

Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade ainda fossem maiores. Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade empregadora, quaisquer reparos, subsídios ou outros quaisquer benefícios.

Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim. Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego.

Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo: «Mas você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu?».

E eu respondo: «Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade própria!».

E você volta a questionar-me: «Então, porque fica o homem a receber os tais 12 000 por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?».
Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE». E que, «de acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos».
Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE forem mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.
Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes.
Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma, de um desenfreado, e abusivo desavergonhado abocanhar do erário público.

Mas, voltemos à nossa história...

O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo.
Aqui, uma pergunta se impõe: Afinal, o que é - e para que serve - a ERSE? A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético.
E pergunta você, que não é burro: «Mas para fazer cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?». Parece que não.
A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a ERSE intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço.

Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores. Aliás, antes da questão dos aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE? Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de pachorrento bovino, aguentará tão pesada canga? E tão descarado gozo? Politicas à parte, estou em crer que perante esta e outras, só falta mesmo manifestarmos a nossa total indignação.

Jorge Viegas Vasconcelos => mais um CHULO

JÁ AGORA FAÇAM LÁ O FAVORZINHO DE DIVULGAR.

No Fio da Navalha

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Erro ou intenção???

É comum a opinião de que os governantes só agem sob pressão e não por previsão, antecipação ou planeamento. Agora surge um caso a confirmar.

Embora seja repetido que a austeridade para se sair da crise tem de ser suportada por todos sem excepção, surgiu a notícia Pensões vitalícias dos antigos políticos escapam aos cortes dos subsídios de férias e de Natal aplicados a quem tenha salários superiores a 1000 euros. Estes, em vez dos habituais 14.000 euros anuais passarão a receber apenas 12.000, o que é um «imposto» de 14,2857%.

Depois deste grito de alerta, surgiu a notícia Governo propõe que ex-políticos paguem “contribuição solidária”, alegando que estes não foram inicialmente atingidos por não se tratar de 13º e 14ª mês pois recebem apenas 12 vezes por ano.

A colmatagem desta lacuna agora notada só ocorre depois da pressão da opinião pública (veja-se a primeira notícia linkada). Daí outra ideia que hoje é muito repetida, o povo deve usar o direito à indignação e os cidadãos perigosos não são os que gritam e reclamam mas os que se calam e que ficam indiferentes.

Depois fica a dúvida se a lacuna ocorreu por incompetência dos governantes ou se foi por interesse de não ferir interesses dos «camaradas» e os seus próprios não criando um precedente que amanhã lhes contraria a ambição. Há quem defenda que não haverá incompetência na actual equipa governativa!!! E, pelos vistos ainda apresentam argumentos «lógicos»

Espera-se que os jornais estejam atentos para ver se os detentores de tais «remunerações» luxuosas contribuem para a crise, no mínimo, com a percentagem de 14,2857, aplicada aos trabalhadores que auferem o salário de 1.000 euros.

Imagem de arquivo

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Sabedoria vs Erudição


UMA PEQUENA HISSTÓRIA ÁRABE.

Um homem morreu. Possuía 17 camelos e 3 filhos.
Quando seu testamento foi aberto, dizia que a metade dos camelos seria do filho mais velho,
um terço seria do segundo e um nono do terceiro.

O que fazer?

Eram dezessete camelos; a metade seria dada ao mais velho. Então um dos animais deveria ser cortado ao meio? Isso não iria resolver, porque um terço deveria ser dado ao segundo filho. E a nona parte ao terceiro?

É claro que os filhos correram em busca do homem mais erudito da cidade, o estudioso, o matemático. Ele raciocinou muito e não conseguiu encontrar a solução - matemática é matemática.

Alguém sugeriu: "É melhor procurarem alguém que conheça sobre camelos ao invés de matemática". Foram então ao Sheik da cidade, um homem bastante idoso, inculto, porém sábio por sua experiência. Contaram-lhe o problema.

O velho riu e disse:
"É muito simples, não se preocupem".
Emprestou um dos seus camelos - eram agora 18 - e depois fez a divisão.
Nove foram dados ao primeiro filho, que ficou satisfeito. Ao segundo coube a terça parte - seis camelos; e ao terceiro filho, foram dados dois camelos - a nona parte.

Sobrou um camelo: o que foi emprestado.
O velho então, pegou seu camelo de volta e disse: "Agora podem ir".

Esta estória foi contada no livro "Palavras de fogo", de Rajneesh. Serve para ilustrar a diferença entre a sabedoria e a erudição.

Ele conclui dizendo: "A sabedoria é prática, o que não acontece com a erudição.
A cultura é abstrata, a sabedoria é terrena; a erudição são palavras e a sabedoria é experiência".

Imagem do Google

FOME NÃOoooooooooooo ! PRECISAMOS SER LIVRES !

Ao longo dos últimos cinquenta anos, um grupo seleccionado de políticos, empresários, banqueiros e outros poderosos tem-se reunido em segredo para tomar as grandes decisões que afectam o mundo. Se quiser saber quem mexe os cordelinhos nos bastidores dos organismos internacionais conhecidos, não hesite: leia este livro. Não temendo pôr em risco a própria vida, Daniel Estulin foi a única pessoa a conseguir romper o muro de silêncio que protege as reuniões do clube mais exclusivo e perigoso da história.

"Nesta obra, pretendo contar parte da verdade do nosso presente e futuro próximo que ninguém traz à luz. Clube Bilderberg: Senhores do Universo documenta a história da implacável subjugação da população por parte dos seus governantes. O leitor assistirá ao nascimento de um Estado policial mundial que transcende o pior pesadelo de Orwell, com um governo invisível, omnipotente, que puxa os cordelinhos na sombra, controlando o Governo dos Estados Unidos, a União Europeia, a OMS, as Nações Unidas, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional e qualquer outra instituição similar. Está tudo aqui: a história do terrorismo promovido pelos governos, do estabelecimento recente do controlo da população com base no medo e, o mais espantoso de tudo, os projectos futuros da Nova Ordem Mundial. "

Daniel Estulin - Nasceu na Rússia há 39 anos e tem nacionalidade Canadiana, mas reside em Espanha. Jornalista e especialista em comunicação, investiga as actividades secretas do Clube Bilderberg há 13 anos. Conquistou três prémios de investigação nos E.U.A. e Canadá.

A reunião do CLUBE BILDERBERD 2011 começou dia 9 e terminou a 12 de Junho.
Entre os diversos participantes, das mais variadas áreas e países, é de destacar a "armada" portuguesa. Segundo o site Bilderberg 2011, as personalidades portuguesas na reunião neste ano particularmente conturbado para Portugal foram:

Balsemão, Francisco Pinto, Chairman and CEO, IMPRESA, S.G.P.S.; Former Prime Minister
Ferreira Alves, Clara, CEO, Claref LDA; writer
Nogueira Leite, António, Member of the Board, José de Mello Investimentos, SGPS, SA


PRECISAMOS SER LIVRES !

ESTAMOS FARTOS !!!

A CORRUPCÇÃO É GRANDEeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee !


VÍDEO LEGENDADO EM PORTUGUÊS !


We Want To Be Free from Sonic Realm on Vimeo.

Cortam nos subsídios para pagar a tipos como estes?

O que justifica mordomias para um ex-presidente da AR?


Isto:

A presidente da Assembleia da República acaba de atribuir a Mota Amaral, na qualidade de ex-presidente do Parlamento, um gabinete, uma secretária, um BMW 320 e um motorista.

O despacho é assinado por Assunção Esteves, e remete para o articulado que regulamenta o funcionamento dos serviços da Assembleia da República, a Lei de Organização e Funcionamento dos Serviços da Assembleia da República (LOFAR), publicada em anexo à Lei n.º 28/2003, de 30 de Julho, e do n.º 8, alínea a), do artigo 1.º da Resolução da Assembleia da República n.º 57/2004, de 6 de Agosto, alterada pela Resolução da Assembleia da República n.º 12/2007, de 20 de Março.

O facto está a ser divulgado na Internet, e está a ser apresentado como uma prova de que a Assembleia da República não aplica a si mesma os cortes que, na actual crise, o governo tem vindo a impor aos portugueses.

Transcreve-se o despacho em causa:

"Despacho n.º 1/XII -- Relativo à atribuição ao ex-Presidente da Assembleia da República Mota Amaral de um gabinete próprio, com a afectação de uma secretária e de um motorista do quadro de pessoal da Assembleia da República.

Ao abrigo do disposto no artigo 13.º da Lei de Organização e Funcionamento dos Serviços da Assembleia da República (LOFAR), publicada em anexo à Lei n.º 28/2003, de 30 de Julho, e do n.º 8, alínea a), do artigo 1.º da Resolução da Assembleia da República n.º 57/2004, de 6 de Agosto, alterada pela Resolução da Assembleia da República n.º 12/2007, de 20 de Março, determino o seguinte:

a) Atribuir ao Sr. Deputado João Bosco Mota Amaral, que foi Presidente da Assembleia da República na IX Legislatura, gabinete próprio no andar nobre do Palácio de São Bento;
b) Afectar a tal gabinete as salas n.º 5001, para o ex-Presidente da Assembleia da República, e n.º 5003, para a sua secretária;
c) Destacar para o desempenho desta função a funcionária do quadro da Assembleia da República, com a categoria de assessora parlamentar, Dr.a Anabela Fernandes Simão;
d) Atribuir a viatura BMW, modelo 320, com a matrícula 86-GU-77, para uso pessoal do ex-Presidente da Assembleia da República;
e) Encarregar da mesma viatura o funcionário do quadro de pessoal da Assembleia da República, com a qualificação de motorista, Sr. João Jorge Lopes Gueidão;

Palácio de São Bento, 21 de junho de 2011

A Presidente da Assembleia da República, Maria da Assunção Esteves.

Publicado no:  “D. A. R. II Série - E - Número 1 de 24 de Junho de 2011"

Link:

http://app.parlamento.pt/darpages/dardoc.aspx?doc=6148523063446f764c324679626d56304c334e706447567a4c31684a5355786c5a79394551564a4a5353394551564a4a5355467963585670646d38764d634b714a5449775532567a63384f6a627955794d45786c5a326c7a6247463061585a684c314e31596e504471584a705a5355794d455576524546534c556c4a4c5555744d4441784c6e426b5a673d3d&nome=DAR-II-E-001.pdf

Juntam-se “IMAGENS” DO D.A.R. do dia 24 de Junho de 2011-10-18

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

É imperativo divulgar o mais possível este vídeo.



(...) é aterrador, quando se percebe que é na "Democracia" que se criam leis que deliberadamente visão,"legalizar" a fuga aos impostos pelos mais ricos. Eu interrogo-me se algum dia será possível acabar com estes corruptos.

Já se conheciam algumas patifarias desta "gente", mas assim com tanta clareza...




___________________________________________________________________


Corte do 13º e do 14º salários ou imposto?

Cortar 2 salários de um conjunto de 14 corresponde a um imposto de 14,2857% do rendimento colectável para tal taxa. Sendo imposto, é estranho que não tenha escalões em função do rendimento a que é aplicado, o que é realmente singular e constitui uma benesse para os salários mais elevados. Não é justo que a mesma percentagem seja aplicada tanto a um salário de 1001€ como ao de 10.000€. Isto constitui uma gravosa injustiça social.

Outro aspecto é o de um trabalhador com salário de 999€ fica beneficiado de 14,2857% em relação ao colega que tem um salário de 1001€ a quem são retirados dois salários. Isto pode ser grave entre os colegas e suas famílias, originar desmotivação para o desempenho profissional, e até atritos desagradáveis entre eles.

Atendendo a estes e outros aspectos desta iniciativa desequilibrada em prejuízo dos mais fracos, sempre os mais lesados, é lógico que o povo espere do Governo que acabe por refundir esta decisão e a transforme num imposto extraordinário aplicado em escalões conforme os rendimentos. Parece ser essa a ideia que o PR considera mais sensata.

Imagem de arquivo

Preciso da candeia de Diógenes

A cada passo encontramos uma armadilha, uma mina, um buraco, uma cilada. Haja quem mereça confiança!!! Parece que nem com a candeia de Diógenes se consegue encontrar um homem verdadeiro. Principalmente na política ou sua área de interesse.

Se os políticos agissem por dedicação ao País, certamente teriam objectivos muito idênticos embora pudesse haver nuances algo diferentes nas linhas estratégicas a seguir para os atingir. Não haveria decisões opostas nem guerras desgastantes e cada político ou cada partido usaria como propaganda e chamariz para os votos as suas melhores soluções para atingir os objectivos nacionais, com verdade e honradez.

Por seu lado, dos jornalistas e comentadores, em tal quadro ideal, seria esperada isenção na análise, nas críticas e nas sugestões.

Mas políticos, jornalistas e outros oportunistas, esquecem os interesses do País, esquecem os direitos das pessoas e concentram a sua capacidade (quando existe) de pensamento nos seus próprios interesses e ambições, ou nos do seu partido de momento ou dos seus amigos. Esta reflexão ressalta do seguinte texto recebido por e-mail do amigo FR que se segue:

CRESPO AO FRESCO

Mário Crespo, 64 anos, jornalista da SICN e colunista do Expresso, foi convidado por Miguel Relvas, ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, para o lugar de correspondente da RTP em Washington, vago há seis meses. Deste modo, Crespo voltará a desempenhar as funções que exerceu entre 1992-98. O convite está a gerar forte turbulência na RTP, uma vez que a estação estava a organizar um concurso interno para preenchimento da vaga, de acordo com os critérios estatutários:
1) É dada primazia a jornalistas do quadro da RTP interessados em trabalhar no estrangeiro.
2) A direcção de informação selecciona os candidatos.
3) Um júri avalia.
4) A administração avaliza a escolha final.

Crespo nem sequer é do quadro: foi despedido da RTP há doze anos. Chama-se a isto, em linguagem plano inclinado, dar o pote aos boys. Este assessor de Relvas é que os topa.

Lembram-se do que Mário Crespo disse do Governo de Sócrates? Do que ele afirmou sobre as perseguições, intimidações, censuras e tentativas de interferência do poder político no jornalismo? Da t-shirt que levou à Assembleia da República para denunciar as malévolas intenções governamentais? Pois bem: o ministro Miguel Relvas atropelou a administração e a direcção de informação da RTP e convidou Mário Crespo para correspondente da estação pública em Washington. A RTP, não sei se estão recordados, é aquela estação que estava para ser privatizada, perdão, reavaliada.

Sobre o convite, Crespo, cândido e enternecido, declarou: «É um lugar que me honraria muito nesta fase da minha carreira e para o qual me sinto habilitado».

Curioso. Pensei que ia recusar com base numa alegada interferência do poder político no jornalismo, mas não. E na RTP, já agora, ninguém se demite?

Confesso: cada vez tenho mais respeito por algumas meretrizes.


Comentário contido no e-mail:
Toda aquela cena das perseguições que inventou do Governo do Sócrates, com alguma esquizofrenia, já dava a entender que este Crespo era próximo do PSD... Não me lixem com a independência dos Jornalistas porque é uma grande mentira...!.....

Isto são os grandes honestos, defensores acérrimos da justiça e da liberdade, em PORTUGAL, os que são contra os "boys", etc... etc...


NOTA: Preciso de ter confiança em alguém. Como encontrar? Como o reconhecer? O post anterior foi também um balde de água fria que me atingiu.

Imagem de arquivo