terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

ENSINO em Portugal; o que aí vem?!

Cortes em algumas disciplinas, disciplinas semestrais, avaliação diversificada (…)
Estamos na antecâmara de mudanças significativas no ensino em Portugal, uma alteração profunda que vai afetar não só currículos mas também a forma como os professores trabalham e avaliam os seus alunos. A primeira dúvida que me ocorre é até que ponto a capacidade adaptativa dos professores é suficiente para uma mudança tão profunda? Não é uma crítica, é uma constatação... a desmotivação, o cansaço e a formatação de base que a classe exibe, mostra que a mesma precisará de tempo para se adaptar.
A resistência à mudança, a resistência a fazer algo diferente é garantida, seja pelos bons ou maus motivos...
A entrevista que fiz ao Secretário de Estado João Costa, deixou pistas relevantes do que aí vem. Se somarmos o que disse o Ministro da Educação, 2017 promete ser o ano de uma profunda reforma. A questão que se coloca, é se é esta a mudança que a escola quer e precisa?
Ficam algumas pistas:
AVALIAÇÃO DIFERENCIADA, AVALIAÇÃO TRANSDISCIPLINAR
A avaliação deve estar ao serviço das aprendizagens e não o contrário. Para isso, é preciso centrá-la na sua dimensão formativa, o que implica diversificar cada vez mais os instrumentos de avaliação: um ensaio, um projeto interdisciplinar de aprofundamento de temas, ou até um trabalho de robótica ou de interação entre arte e ciência é um instrumento de avaliação muito mais (in)formativo do que um teste escrito, que é, por natureza, limitado no que consegue avaliar. Numa lógica transdiciplinar, podemos identificar, entre diferentes disciplinas, trabalhos comuns que exploram conteúdos e competências de cada uma das áreas e que constituem instrumentos de avaliação partilhados.
DISCIPLINAS SEMESTRAIS
Sabemos que, hoje, em algumas disciplinas, os professores têm um número excessivo de turmas e alunos. Não descartamos a hipótese de dar às escolas a possibilidade de organizar algumas disciplinas semestralmente, concentrando mais horas em cada semestre e aliviando o número de turmas.
ESCOLAS A GERIREM O TEMPO SEMANAL
Por isso, vamos convidar cada escola a gerir uma parte substancial do tempo semanal, em projetos próprios construídos com as diferentes disciplinas. Esta flexibilização potenciará interdisciplinaridade, projeto e consolidação e aprofundamento de aprendizagens.
DEFINIÇÃO DE APRENDIZAGENS ESSENCIAIS
A definição deste perfil é uma peça de um puzzle maior… é um referencial do que se quer que seja o destino de cada aluno… as outras 3 peças deste puzzle são: definição de aprendizagens essenciais; estratégia de educação para a cidadania; legislação de educação inclusive.
CORTES NAS DISCIPLINAS DITAS NUCLEARES E REFORÇO NAS EXPRESSÕES
“Não há mais – e há muito que não as há – ciências dita “duras” e ciências dita “moles”, saberes essenciais e saberes dispensáveis; (Ministro Tiago Rodrigues)
Se somarmos a isto as provas de aferição, o fim de alguns exames, a municipalização que está mesmo aí e tendo em conta o pouco tempo que passou, estamos perante um Ministro que irá marcar a educação em Portugal.
Para bem ou para mal ???
Só falta mexerem no modelo de gestão(...)
por Alexandre Henriques
Será que é para lidar com “os millennials” ???



 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

..... GRANDE LIÇÃO DE JUSTIÇA .....

aqui bem representada por esta história:

Um homem que viajava pelo Oriente, decidiu pedir alojamento num Mosteiro Budista na montanha. Deram-lhe um quarto com 3 janelas.
Pela 1ª Janela, viu vários monges completamente nus com o pénis sobre uma grande mesa.
Pela 2ª janela, viu uma mulher belíssima deitada nua numa cama.
Pela 3ª janela viu um Monge, a balouçar enforcado numa árvore.
Intrigado no dia seguinte perguntou a um monge sobre o que tinha visto pelas janelas.
Então o monge explicou:
Na 1ª janela viste uma cerimónia em que todos participamos que consiste em ficarmos despidos com o pénis apoiado sobre uma mesa grande. Então soltamos uma mosca e no pénis que ela pousar, esse monge, tem direito a passar a noite com a bela mulher que viste na 2ª janela.
…e o enforcado? (perguntou o homem)
Esse era o grande F. da P. batoteiro que ganhava sempre, até que descobrimos que ele besuntava o pénis com mel.
 

ASSIM FAZEM OS POLÍTICOS, AO “BESUNTAREM” O TEU CÉRBERO COM MENTIRAS,  QUE TAL COMO ÀS MOSCAS,  TAMBÉM TE ATRAEM !!!
 
 
video




 

sábado, 28 de janeiro de 2017

CUBO DE GELO NA NUCA RECUPERA O EQUILÍBRIO FISIOLÓGICO


O que acontece quando coloca um cubo de gelo na parte de trás da cabeça?
Não dá para acreditar!

A medicina tradicional chinesa conseguiu descobrir um ponto incrível do nosso corpo que, quando é estimulado, promove um bem-estar geral inacreditável.
Este ponto, chamado de Feng Fu, é um ponto de pressão que se situa atrás da cabeça, na nuca (na base do crânio), na parte superior do pescoço, no cimo da cervical próximo do occipital.
Indo pela lógica da medicina tradicional chinesa, o Método do Ponto Feng Fu não trata os problemas do organismo. Na verdade, este método faz com que o corpo volte ao seu equilíbrio fisiológico natural – fornecendo um forte impulso de vida, rejuvenescendo todo o corpo; basicamente, sente-se como nunca se sentiu antes.

Técnica da aplicação de um cubo de gelo no ponto Feng Fu:
-Escolha uma posição confortável, de barriga para baixo.
-Aplique um cubo de gelo, uma ou duas vezes por dia, durante 20 minutos.
-Se lhe for mais conveniente, pode usar um pano ou um saquinho de plástico, para envolver o cubo de gelo.
-Ao fim de 30 segundos, começará a sentir um leve calor neste ponto.
-Nos primeiros dias, há a possibilidade de uma leve sensação de euforia, devido à libertação de endorfinas.

Alterações que poderá sentir ao aplicar este método:
• Diminuição de dores de cabeça, dores de dentes e de articulações;
• Ajuda a regular problemas de tensão arterial (hipotensão e hipertensão);
• Melhoras no sistema digestivo;
• Melhoras do seu sono e humor;
• Alívio de infecções gastrointestinais e doenças sexualmente transmissíveis;
• Alívio de perturbações neurológicas e distúrbios psico-emocionais: fadiga crónica, stress, depressões, insónias, etc.;
• Inibição de alterações degenerativas da coluna vertebral;
• Melhoras de problemas respiratórios;
• Ajuda a inibir problemas ligados ao sistema cardiovascular;
• Eliminação de constipações frequentes;
• Estabilização de distúrbios provocados pela tiróide;
• Alívio de ataques de asma;
• Redução da celulite;
• Melhoras de problemas do tracto gastrointestinal;
• Melhoras de desordens ligadas à obesidade e à má nutrição;
• Alívio de desordens ligadas à frigidez, impotência e infertilidade;
• Melhoras de problemas menstruais.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Agora é $ (TRUMP/louco) VERSUS €


O euro pode colapsar nos próximos 18 meses
O alerta é feito por Ted Malloch, escolha de Donald Trump para embaixador na União Europeia. E vai mais longe. Diz que se tivesse de apostar, investiria na queda do euro, revelou o responsável em entrevista à BBC.
Malloch diz ainda que o Reino Unido e os EUA poderão chegar a um acordo “benéfico para ambos” de comércio livre em menos de 90 dias. E defende que para os Estados Unidos seria melhor se o Reino Unido saísse da União Europeia de forma “limpa”.
Segundo o futuro representante dos EUA, uma vez fora do mercado único, o Reino Unido poderia ignorar “os burocratas em Bruxelas”, defendendo também que qualquer tentativa da União Europeia para bloquear o início das negociações com os EUA seria “absurda” e compara a situação a “um marido a tentar impedir que a sua esposa tenha um caso”.
Veremos se, AGORA, os “sábios” da União Europeia e dos seus Estados, que gostam de tanto palavreado aos microfones, demonstrem que também possuem “brains” suficientes para analisar, procurar solução, estruturar a economia e as finanças para não deixarem cair na miséria quem neles confiou.
Seria uma oportunidade de os políticos mostrarem que merecem o voto que os eleitores lhes deram.
video
Ou… VEREMOS TODOS QUE NÃO O MEREÇEM !!!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

NÃO!!! OLHA QUE NÃO FOI FILME.


O que se segue é uma cópia de um artigo escrito por Sebastian Vilar Rodríguez, escritor espanhol, publicado num jornal espanhol. Não necessita de muita imaginação para associar a mensagem ao resto da europa, possivelmente ao resto do mundo.
O que realmente morreu em Auschwitz?
Percorrendo as ruas de Barcelona, de repente descobri a terrível verdade:
   A europa morreu em Auschwitz...
Matámos seis milhões de judeus e substituímo-los por 20 milhões de muçulmanos. Em Auschwitz queimámos uma cultura, pensamento, criatividade, talento. Destruímos o povo escolhido, verdadeiramente escolhido porque produziram grandes e maravilhosas pessoas que mudaram o mundo.
A contribuição dessas pessoas é sentida em todas as áreas da vida:
Ciência, arte, comércio internacional e, acima de tudo, como consciência do mundo.
Estas foram as pessoas que queimámos. E sob a presunção de tolerância e porque quisemos provar a nós mesmos que estávamos curados da doença do racismo, abrimos as portas a 20 milhões de muçulmanos que nos trouxeram estupidez e ignorância, extremismo religioso e falta de tolerância, crime e pobreza, devidos à relutância em trabalhar e orgulhosamente sustentar as suas famílias.
Eles explodiram os nossos comboios e mudaram as nossas belas cidades espanholas para o 3º mundo afogando-as em imundice e crime.
Fecham-se em apartamentos que recebem grátis do governo, planeando a matança e destruição dos seus ingénuos hóspedes. E isto, para nossa desgraça, trocámos cultura por inimizade fanática, habilidade criativa para habilidade destrutiva, inteligência para a regressão e superstição. Trocámos a procura da paz dos judeus da europa com seu talento para um futuro melhor para seus filhos, o seu determinado apego à vida porque a vida é sagrada, pelos que procuram a morte para pessoas consumidas pelo desejo da morte para si mesmos e para os outros, para as nossas crianças e para as deles.
Que erro terrível foi feito pela pobre Europa. Recentemente, a Grã-Bretanha debateu a remoção do holocausto do currículo escolar porque ofende a população muçulmana que pretende que nunca tenha existido.
Por agora ainda não foi removido. No entanto é um presságio assustador do medo que está a dominar o mundo e de quão fácil se está a tornar cada país ceder a esse medo. Passaram cerca de setenta anos depois da segunda grande guerra. Agora, mais do que nunca, com o irão entre outros negando o holocausto, que dizem ser um mito, é imperativo fazer:
"que o mundo nunca esqueça"

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Violência deve ter legistação adequada


Condenar a violência com legislação adequada
(Publicado em O DIABO de 17 de Janeiro de 2017)
Atentados que matam dezenas de inocentes e deixam ferida quase uma centena de pessoas que nada fizeram de mal não é um crime normal que possa ser julgado pela legislação tradicional. Também não devem ser retaliados por forma idêntica e informal porque violência gera mais violência e a espiral eleva as consequências para patamares inimagináveis.
Há quem recorde a revolução francesa de 14 se Julho de 1789, em que, apesar do seu lema de harmonia social com «liberdade, igualdade e fraternidade», não foi descurada a necessidade da pena capital com a utilização da guilhotina para travar atentados ao seu rumo humanitário. Agora, o problema tem pormenores muito diferentes e não se pode condenar à morte um terrorista suicida, mas há que calar quem o encarregou ou obrigou ao crime. Como? Seria bom que a conversação, a negociação ou outras estratégias pacíficas pudessem ser eficazes, mas temos constatado que as organizações que impõem tais actos se vangloriam dos resultados mais trágicos, mostrando-se dispostas a subir a escalada. Daí não parece poder esperar-se que a solução pacífica seja eficaz.
Por outro, lado não parece racional respeitar a vida de quem não respeita a de outros, inocentes e alheios aos motivos de tal sanha assassina. Mas se os mais altos poderes internacionais se inclinarem a concordar com tal solução, não devem deixar que haja retaliações de forças públicas ou privadas a fazer justiça pelas próprias mãos. Será indispensável legislação especial criada pela ONU aplicada por uma instituição criada ad hoc que decida, sem demora, para não deixar arrefecer os efeitos do crime a punir. É muito provável que, depois de consumados os primeiros julgamentos extraordinários, não será necessário haver outros, porque o poder de dissuasão resultará.
É raro o dia em que não haja um ou mais crimes hediondos no Médio Oriente ou em qualquer continente que tornam a vida impossível a pessoas que gostariam de respeito mútuo entre todos, em bom convívio e solidariedade num ambiente de paz e harmonia social. Ninguém se deve considerar dono de tudo excluindo os outros que não se submetam à sua forma de pensar e de agir. O respeito e a tolerância devem ser virtudes a praticar com reciprocidade.
Há exemplos dos dois extremos do problema. Ontem, um amigo muito viajado referiu o paraíso de Singapura em que não há violência nem droga, mas respeito pelo meio ambiente e pelos outros, do que resulta harmonia e boa convivência entre pessoas de diversas etnias e religiões. As Filipinas parecem estar a procurar os mesmos resultados, oxalá escolham os métodos mais aceitáveis.
Um exemplo do extremo oposto é o da Turquia onde, tal como na Síria, o dono do poder utiliza a prepotência e a imposição da sua visão pessoal. Por isso, não deve ter acontecido por acaso o golpe falhado de 15 de Julho. Mas, em vez de reconsiderar que a negociação e a adequada reorganização do sistema seriam oportunas, ouvindo para isso opiniões de todos os sectores, foi aplicada a violência do poder com punições volumosas contra pessoas com quem o entendimento não era o melhor. O resultado de tal problema interno e a participação contra os oposicionistas rebeldes da Síria traduziu-se na série de atentados contra pessoas inocentes sucedidos nos dias mais recentes. A violência usada contra a violência tem efeitos de aceleração e aumento da gravidade e da injustiça social. A Colômbia chegou a tal conclusão e pena foi que demorasse 52 anos, a ser tomada a iniciativa do diálogo, mas oxalá consiga levar a cabo os bons objectivos desejados.
Os governantes, como representantes da população, devem ter sempre em vista a qualidade de vida e os interesses colectivos desta, quando se preparam para tomar decisões importantes. Para isso, devem estar sempre em contacto com as realidades nacionais e ouvir as opiniões representativas de tais interesses. Quem for prepotente e se capacidade para contrariar os seus próprios caprichos não merece o voto dos eleitores. Perdoar um erro é uma virtude se ele não foi cometido premeditada e intencionalmente e se o arrependimento garante que não será repetido. Mas a violência que apavora a Humanidade, é confessadamente premeditada e intencionalmente disposta a continuar até à vitória final. Para tais actos não pode haver perdão.

video
 

... sem admiração ... NOS 2 SENTIDOS

Há novos dados, com base em documentos secretos, que refutam a ideia de que hitler se suicidou a 30 de Abril de 1945. Estas ideias são divulgadas na segunda temporada da série documental Hunting Hitler, do Canal História, depois de uma investigação que conta com os contributos do ex-agente da CIA, Bob Baer, e do sargento Tim Kennedy, elemento das forças especiais americanas que esteve envolvido na busca por Osama Bin Laden, ex-líder da Al-Qaeda. Estes dois elementos analisaram 14 mil documentos secretos, entre os quais os que foram desclassificados pelo FBI, em 2014, e que mostram que as secretas norte-americanas acreditavam, em 1945, que hitler tinha fugido da Alemanha. O documentário revela um memorando assinado por J. Edgar Hoover, ex-director do FBI, que nota que “oficiais do Exército norte-americano na Alemanha, não localizaram o corpo de hitler, nem há nenhuma fonte credível que diga que hitler está morto. A investigação do Canal História apurou que o bunker de Hitler, onde ele se terá escondido e suicidado, tinha uma quinta porta de saída que não era conhecida até agora. O ditador pode assim, ter utilizado esta pretensa passagem secreta para ir para algum local onde estivesse um avião à sua espera. E há um documento dos Serviços Secretos britânicos que refere a possibilidade de o piloto Peter Baumgart ter transportado hitler para fora da Alemanha, no dia anterior à data oficial do seu suicídio. Outro dossier aponta o testemunho de alguém que alega ter visto hitler na Dinamarca, onde se presume que terá embarcado noutro avião rumo à Argentina. “Estou convencido de que, no último momento, ele pode ter saído, sem dúvida, com ou sem Eva Braun”, salienta Bob Baer em declarações ao jornal britânico Express. “O Nazismo não morreu” em 1945, diz ainda o ex-agente da CIA, notando que “muitos nazis, centenas de milhares deles, foram para a Argentina com a intenção de criar o Quarto Reich, usando armas de destruição massiva. “Temos provas de uma instalação nuclear onde um físico Nazi construiu um reactor e testou engenhos explosivos”, acrescenta Baer. A atestar esta possível estadia de hitler em solo argentino, onde vários elementos do regime nazi se refugiaram depois do fim da II Guerra Mundial, está mais um documento que refere que o ditador terá pernoitado num complexo de tipo militar. Em 2014, a investigadora brasileira Simoni Renée Guerreiro Dias defendeu também esta ideia de que hitler teria fugido para a Argentina, com a ajuda de amigos do Vaticano, acabando por instalar-se em Mato Grosso, no Brasil, onde teria morrido com 95 anos de idade. Outro ponto focado no documentário, que alimenta a possibilidade de hitler ter fugido, é o mistério em torno dos alegados restos mortais do ditador. A única prova actual existente que poderia confirmar a sua morte é uma parte do osso do maxilar inferior que estará na posse das autoridades russas. A versão oficial menciona que, após o alegado suicídio de hitler, o seu cadáver e o de Eva Braun foram enrolados em lençóis e queimados pelos soldados alemães. Os russos terão encontrado então, apenas parte do maxilar e em 1945, uma equipa de medicina legal do país confirmou, através da dentição, que pertenceria a hitler. Mas o paradeiro deste suposto maxilar de hitler é incerto e as autoridades russas recusam-se a entregá-lo para análises mais detalhadas. “Porquê o mistério? Porque não simplesmente, convidar a imprensa internacional e mostrar os registos dentários?”, são as perguntas que Baer faz através do Express, apimentando assim, a possibilidade de esse maxilar nem sequer existir e reforçando a tese da possível fuga de hitler. As secretas da época (1945 d. Cristo) já suspeitavam que o ditador nazi tinha encenado a sua morte e fugido para a Argentina.

JAMAIS ESQUEÇAS O QUE ESSE hitler CAUSOU

 

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Vê como 8 é igual a 3.600.000.000 !!!


Oito empresários, incluindo Bill Gates(https://pt.wikipedia.org/wiki/Bill_Gates), têm a mesma riqueza que a metade mais pobre da população mundial, no total de 3,6 mil milhões de pessoas, divulgou a Oxfam, confederação internacional contra a pobreza. Além do antigo patrão da Microsoft, constam na lista Amancio Ortega(https://pt.wikipedia.org/wiki/Amancio_Ortega), WarrenBuffett(https://pt.wikipedia.org/wiki/Warren_Buffett)), Carlos Slimtttps://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Slim), Jeff Bezos(https://pt.wikipedia.org/wiki/Jeff_Bezos), Mark Zuckerberg(https://pt.wikipedia.org/wiki/Mark_Zuckerberg), Larry Ellisonhttps://pt.wikipedia.org/wiki/Larry_Ellison) e Michael Bloomber(https://pt.wikipedia.org/wiki/Michael_Bloomberg).
O relatório é divulgado na véspera do Fórum Económico Mundial de Davos, na Suíça, que reúne, entre terça e sexta-feira, a elite política e empresarial.
Segundo a diretora-executiva da Oxfam, Winnie Byanyima, “a imensa riqueza que acumulam uns poucos resulta obscena quando uma em cada dez pessoas no mundo sobrevive com menos de dois dólares (1,88 euros) por dia”.
A responsável salientou, em comunicado, que 7 em cada 10 pessoas vivem num país em que a desigualdade aumentou nos últimos 30 anos.
A Oxfam pede aos governos para que aumentem os impostos sobre as grandes fortunas, garantam um salário digno para os trabalhadores e travem a evasão fiscal.
video

domingo, 15 de janeiro de 2017

.... O QUE FAZ O BICHO (h)OMEM ....

Centenas e centenas de éguas prenhas PRESAS em máquinas de extração de sangue !!!  Algumas ficam tão fracas que entram em colapso e morrem. Mas vamos tentar acabar com isso e já.
A tortura industrial de cavalos é impulsionada por empresas farmacêuticas europeias [(usam o hormônio do sangue para acelerar a reprodução de animais nas pecuárias industrializadas) L ]
Nem mais uma égua para a morte lenta!
Os ministros da EU reúnem-se daqui a duas semanas:
Vamos abanar a União Europeia com um todas as assinaturas possíveis.
NÃO A MAIS MASSACRES DOS ANIMAIS
 





L  NEGÓCIOS  DE  SANGUE  L
Parte inferior do formuláAmbrosia é o nome da startup fundada por Jesse Karmazin cujo negócio é sangue. Literalmente, sangue novo, de jovens entre os 18 e os 25 anos e que é colocado a circular em adultos com mais de 35 anos. Este novo negócio que, na realidade, não tem ainda comprovação científica, já que esta não é uma transfusão qualquer. O que Jesse Karmazin se propõe fazer  é usar a técnica que salva milhares de vidas todos os anos, com um objectivo diferente, que é combater o envelhecimento. Para já, a Ambrosia está a organizar grupos de testes e, antes de se obterem conclusões mais fiáveis, não é ainda possível garantir que as transfusões podem ser associadas a um benefício efetivo no estado de saúde de quem as recebe. "Alguns pacientes receberam sangue jovem e outros, sangue menos jovem e pude produzir alguma estatística nesses ensaios que me permitem dizer que os resultados parecem fantásticos", contrapõe  Karmazin à Business Insider, acrescentando que este é o tipo de terapia que gostaria de ter disponível para si próprio. Por agora, quem queira participar nos testes paga oito mil dólares e recebe 1,5L de plasma de dadores com idades entre os 16 [ainda crianças L ] e os 25 anos.
Vê aqui a empresa dos NOVOS VAMPIROS
 
Vídeo VAMPIROS:
video